Notícia

SEFAZ

Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas
Quinta, 20 Abril 2017 14:54
EDUCAÇÃO E CIDADANIA

Escola do Benedito Bentes é primeira a incluir a educação fiscal em grade curricular

Parceria com a Sefaz possibilita que estudantes do ensino médio aprendam sobre tributação e a função social dos impostos

Foco das ações está voltado para campanhas que mobilizem mentes jovens a pensarem sobre o funcionamento da esfera pública Foco das ações está voltado para campanhas que mobilizem mentes jovens a pensarem sobre o funcionamento da esfera pública Felipe Miranda
Texto de Felipe Miranda

Cerca de 300 alunos, distribuídos nos três turnos, dão passos para um futuro promissor na Escola Estadual Marcos Antônio Cavalcanti, no Benedito Bentes. São jovens e adultos que fizeram a escolha de investir nos próprios estudos. Inaugurada há dois anos, pelo Governo de Alagoas, a unidade de ensino é a primeira a funcionar em tempo integral em todo o Estado. Um passo importante para a inclusão e democratização no mercado de trabalho.

Nos últimos dois meses, a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz/AL) apresentou mais um reforço para que os jovens do maior conjunto habitacional da capital cresçam e se desenvolvam. A disciplina de Educação Fiscal agora faz parte da grade curricular da escola. Mais um degrau na trajetória dessa juventude.

Nesta quarta-feira (19), o coordenador pedagógico do Programa de Educação Fiscal da Sefaz, Yuri Miranda, esteve presente na escola para uma palestra sobre desigualdade e a importância dos tributos no controle social.

 

“É importante que os estudantes entendam que o Programa de Educação Fiscal e a inserção da disciplina na grade curricular são atividades voltadas para o fomento de educação e cidadania”, explica.

Segundo Yuri Miranda, o foco das ações está voltado para campanhas que mobilizem mentes jovens a pensarem sobre o funcionamento da esfera pública, de entendê-la.

Ministrada pelo professor Cícero Fernando, a matéria de Educação Fiscal está sendo ofertada para os jovens do primeiro ano do ensino médio. “Escolhemos o tema da educação fiscal para a eletiva de matemática financeira, pela importância que o assunto tem. A idéia é que possamos conscientizar nossos alunos sobre o valor dos impostos. A Sefaz/AL se dispôs a ajudar e veio com alguns materiais. Foi uma parceria bastante positiva”, conta o docente.

A ementa de aulas para os próximos meses foi dividida em quatro módulos. Educação Fiscal no Contexto Social, Relação entre Estado e Sociedade, Função Social do Tributo e Gestão Democrática dos Recursos Públicos. Oficinas presenciais e cursos de capacitação prepararam os docentes para a disciplina. Os alunos já possuem motivos para comemorar. Agora estão mais próximos de uma realidade que até então não passava de siglas desconhecidas.

“Eu sempre ouvi meus pais falarem de IPVA e ICMS, mas nunca entendi muito bem do que se tratava”, explica a estudante Taís dos Santos, de 15 anos. Ela conta que com as aulas pode entender melhor como os impostos pagos pelo cidadão são empregados

 

 “Existe uma idéia errada de que os tributos que pagamos são desperdiçados, mas agora eu sei que, na verdade, tudo volta para a gente, para a nossa comunidade. Em forma de uma pista nova, saneamento, luz”, diz a estudante.

Apesar de as aulas terem começado há pouco tempo, Sam Wesley, 16 anos, já consegue listar todas as dúvidas que tirou desde que a disciplina foi iniciada. “Agora eu sei quem paga os professores da minha escola, os funcionários do Estado e por que o preço dos produtos varia de um Estado para outro”, afirma.

Ele garante que até o fim do semestre vai questionar vários outros assuntos. “O que eu já sei é que a gente precisa pagar as contas em dia e tem todo o direito de cobrar a aplicação correta dos nossos impostos”, afirmou.